Estratégia Empresarial em Gestão Hospitalar: invista na ideia

estratégia-empresarial

Um objetivo em comum das instituições do setor de saúde é o direcionamento de esforços para fazer prevalecer o bem-estar do paciente.

Com investimentos administrados de forma adequada e planejada, um hospital é capaz de entregar aos pacientes um serviço de excelência. E é aqui que entra a gestão hospitalar: com uma estratégia empresarial aplicada, uma instituição de saúde pode otimizar os seus serviços e potencializar resultados.

Uma boa gestão pode trazer muitos benefícios. Veja alguns pontos que poderão ajudar no direcionamento e saiba por onde começar!

 

  • Organização financeira:  o dinheiro de um hospital precisa ser gerido de maneira eficiente, com uma equipe capacitada para fornecer esse suporte. Assim como em uma grande corporação, é necessário que exista um departamento financeiro com profissionais capacitados para oferecer todo o suporte.

    O ponto inicial de qualquer mudança, ou uma repaginação de gestão, começa pela organização das finanças. O primeiro passo é entender onde e como o dinheiro está sendo aplicado para, assim, poder determinar qualquer estratégia.
  • Explore o diferencial da instituição: deve ser parte do plano empresarial o fortalecimento do que há de bom na gestão da instituição e muita atenção aos pontos fracos.

    Todo gestor deve se questionar sobre as razões pelas quais os pacientes irão optar por aquele hospital, clínica ou laboratório, por exemplo. O que faz a sua instituição ser lembrada? Procure responder a essa pergunta e, ao encontrar a resposta você descobrirá também o seu ponto forte. Explore o seu diferencial!

    Quanto aos erros, estes devem receber atenção redobrada. Tente trabalhar em cima deles para que a instituição chegue cada vez mais perto da excelência!

    Um ponto importante a ser trabalhado, a fim de ressaltar os diferenciais, é o marketing da instituição. Dessa forma, tanto os funcionários, quanto os pacientes, podem ficar integrados com a estratégia empresarial.
  • Atenção na logística: busque por um suporte correto para que o seu atendimento consiga acompanhar a demanda e os seus pacientes tenham qualidade na assistência.

    Se antecipe, preveja possíveis imprevistos. Dessa forma será mais fácil saber qual o auxílio necessário. Nessa hora, agilidade conta bastante, pois qualquer um em busca de cuidados médicos espera prontidão no atendimento.

    Lembre-se: quanto mais sucesso a instituição tem, maior é a procura por ela!

Existem algumas ferramentas que podem te auxiliar na organização dos pontos acima. O uso delas pode ser o pontapé inicial para a organizar toda a estratégia.

  • Canvas: uma ótima ferramenta para ilustrar as características do seu modelo de negócios. O canvas permite o gerenciamento estratégico usado em negócios que já existem ou que ainda estão sendo projetados.

estrategia-empresarialImagem: esse é um modelo da ferramenta de Canvas do Sebrae.

 

  • Design Thinking: isso não é uma metodologia e sim uma abordagem. Uma abordagem que busca a solução dos problemas de forma coletiva e colaborativa. Toda a equipe é colocada para desenvolver ideias, mapeando, mesclando experiências e diferentes visões de mundo com o intuito de obter a melhor solução para os problemas.

    Não parte de questões matemáticas, mas sim das reais necessidades dos pacientes. É uma forma de utilizar uma abordagem mais humana para identificar barreiras nas estratégias de gestão.

estrategia-empresarial-1


Mudanças nos modelos de negócios da saúde

Com o envelhecimento da população, a entrada de novas tecnologias e o alto nível de desperdício, os custos no setor apresentam elevação. Esse fenômeno, que ocorre no mundo todo, pode ser revertido no momento que se coloca em pauta o desenvolvimento de um novo modelo de negócio baseado na cadeia da saúde – em que todos os segmentos são unificados.

De acordo com um estudo realizado pela McKinsey & Company, o Brasil gasta hoje 9% do Produto Interno Bruto (PIB) em saúde. E esses custos tendem a subir muito, pois a previsão é de que possam atingir 25% do PIB no ano de 2030.

Um modelo integrado dos negócios em saúde permite que as ações sejam pensadas de forma mais racional, e, assim, tende a acabar com os desperdícios. Um planejamento estratégico, como falamos acima, pode ajudar no aperfeiçoamento das instituições e inibir equívocos – o que também representa elevação nos custos.

Os pontos levantados aqui são de extrema relevância para a realização de uma gestão hospitalar de qualidade. Ao contrário do que muitos pensam, trazer para dentro das instituições de saúde estratégias empresariais, não é desumanizar o atendimento médico. É justamente o oposto, afinal, uma gestão de qualidade proporciona tratamento e atendimento de excelência!

Você aí, tem alguma dica para acrescentar sobre o assunto? Compartilhe conosco pelos comentários!

 

Related Posts
CLIQUE AQUI E SELECIONE O IDIOMA